quarta-feira, 6 de abril de 2011

sonho

Sob o juazeiro repousa o vaqueiro,
tudo ali é calor, toda a natureza
está nua, tudo ali é cinza,
dessa sina ele é herdeiro,

viver como lagartixa magra,
do que sobra da natureza,
pois as secas não lhe dar paz,
quando pensa que ta melhorando,
tem que mudar,
tem que buscar hoje haja água,

come farinha e feijão,
sua pele é escura,
sua boca desdentada,

barriga de cão,
e sofre e luta,
e resiste com o pouco,
feito bode sobrevive
na falta, sobre as pedras,
sob a choupana,
a vida alí é livre,
o céu é estrelado,
mas a fome.

Jejua feito buda,
ama a natureza,
os animais
e resiste é forte,
enquanto cochila
sob a árvore,
sonha com o inverno,
com o gado gordo,
com a roça, a fartura,
o rio cheio de peixe,
melancias no tabuleiro,
cana caiana, manga,
e acorda suado
está no verão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário