quinta-feira, 31 de março de 2011

Domingo que fazia

Os domingos nunca foram dia de muita graça, passou a ter um sentido pior quando comecei a ir a escola, pois domingo estava ali coladinho a segunda. Mamãe dava um jeito de adoçar nossos domingos era um dia especial, então ela fazia um bolo e as vezes matava um frango, geralmente a comida era melhor no domingo. Então acordava cedo para ver a missa e o globo rural. Então mamãe chamava pra comer na hora que estava concentrado na televisão, nos dias que estava de bom humor deixava agente comer em frente a teve, mas nos dias que não estava nem adiantava insistir. Depois do café ou íamos para a casa dos meus avós ou ficávamos mesmo em casa. Naquela época Airton Senna era o melhor piloto de corrida, então quase todos domingos meu primo vinha ver a fórmula 1, na casa dele não tinha televisão ainda, na nossa tinha, mas ainda era preto e branco. Bem quando chegava à tarde pedia pra mamãe para ir para a casa dos Joanas, se ela deixava era uma festa. Tomava um banho, vestia a melhor roupa, que ela fazia ou mandava alguém fazer, roupas simples e saia correndo, muitas vezes cortava caminho pelos sítios alheios, os donos não ligavam. E na casa dos Joanas, se reunia toda a meninada, para assistir a temperatura máxima. A sala ficava lotada, mais parecia um cinema. O chato era quando o filme já tinha sido visto por alguém que ficava contando as cenas. Ficávamos irritados. Então depois do filme vinha as brincadeiras. A noite voltava pra casa e via Faustão, os Trapalhões e o Fantástico. Assim se passava o domingo, mas já perceberam que só falei de programas da rede globo, pois é nessa época o único canal que dava para assistir algo era a Globo, foi essa emissora que ditou e dita as verdades para aquela gente que com o adendo da informática está se libertando aos poucos, mas o fato que na ausência de coisa melhor, nos meus domingos via a rede globo. Naquele povoando não tinha muito o que fazer, senão viver atoa. Certo tempo inventaram um jogo chamado de argolinhas em que o cavaleiro tem que passar correndo a cavalo tendo que tirar uma argola pequena pendurada numa corda. Aquele jogo foi uma febre por muitos domingos foi nossa diversão. Eu era bobo podia ter ganho alguma grana vendendo dindin, mas tinha vergonha. Quem ditou-nos as vergonhas, sei lá, mas parecia que certos trabalhos eram indignos, aquele povo mal tendo o que comer era cheio dos pudores, de uma certa maneira essa vergonha refletiu negativamente em minha vida, assim como ver a rede globo. De doce meus domingos só tinham os bolos da mamãe e o resto é só saudosismo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário