quinta-feira, 10 de março de 2011

Belo

Onde está a beleza?
Está numa flor,
numa obra de arte,
num por do sol,
numa noite de lua,
numa noite estrelada,
num horizonte do mar,
está numa canção,
no riso feliz,
na estética,
na simetria,
na química, física, matemática, quiçá na biologia,
nas curvas humanas,
na sabedoria.
O que é a beleza?
é uma flor
é uma obra de arte,
é um por do sol,
é uma noite de lua,
é uma noite estrelada,
é um horizonte do mar,
é uma canção,
é riso feliz,
é a estética,
é a simetria,
é a química, a física, a matemática, quiçá a biologia,
são as curvas humanas,
é a sabedoria.
E o que é o belo?
Cabe a cada um julgar o que é belo para mim esses predicados são formas de beleza, talvez a beleza seja algo subjetivo, mas seja muito além, talvez seja cultural.
Nem todas as flores são belas, algumas são esteticamente assimétrica, mas teleologicamente atingem seus objetivos quando é fecundada e produz frutos e sementes.
Para entender certas obras de artes é necessário fazer uma leitura da mesmas, sem esta o que é arte para uns é algo indiferente para os outros.
Nem todos por do sol é igual, existem os mais perfeitos, mas por motivos peculiares são tristes, frios desprovidos de interesses. O mesmo acontecendo com as noites pleniluneas e estreladas.
Muitas pessoas já se perderam no horizonte do mar, muitas vidas por lá ficaram.
Nem toda canção nos faz feliz, nos traz tristeza, pra mim muitas canções me angustiam.
As vezes sorrimos porque chorar vai mostrar nossas fraquezas.
Todas as coisas quando humanizadas ganham um sentido, o belo talvez tenha sido humanizado ao extremo e quem sabe um dia não o banalizemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário