segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Tramas

Nas tramas negras da noite,
o vento de açoite me acordou,
e me avisou que o mundo lá fora,
só piora, só piora.

Que o mundo aqui dentro é muito
mais seguro, lá fora tudo acontece,
aqui, a noite escurece.

Peço para o vento me contar
o que ocorre lá fora,
então ele cora,
não me conta esse vento,
a noite ele foge,
a noite ele foge,
por onde anda?

Enfim nas tramas da noite,
durmo no meu mundo,
trancado em meus sonhos
em minha vida.

Ando impaciente,
com os ventos que me sopram
o destino,
que querem as Moiras,
por que ando tão aflito,
não sei,
mas tudo passa,
e logo o vento passará,
quem sabe virá bonança,
ou tempestade,
a noite não sabe,
na noite não cabe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário