quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Tempo

Nunca perco a noção do tempo,
por isso fico assim perdido,
eu me oriento pelo tempo,
vivo para o tempo como a tempo,
maldito seja esse invento,
maldito seja o relógio,
que me faz perder a noção da vida,
que me faz viver e consumir
algo que me resta,
algo que me infesta,
tempo, tempo tempo, tempo
uma, duas, três horas,
porque o tempo não para,
porque a vida não para,
acho que se voltar para
casa tudo vai parar,
acho que se voltar a morar lá
o tempo vai parar,
nunca me preocupei com o tempo,
só queria seguir na mesma proporção do relógio
não me atrasar,
mas as coisas,
mas as coisas tem vida,
tem tempo,
tem ferida!
Nunca perco a noção do tempo
e isso me angustia,
me leva alegria,
quem sabe um dia
não quebro o relógio,
não faço parar o sol,
o vento, a noite,
quem sabe tudo isso não se acabará pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário