quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O dia passou

Hoje quando acordei,
não vi o sol, não vi a lua,
a rua estava vazia,
soprava uma brisa fria,
não tinha tristeza ou alegria,
não tinha magia,
não tinha fantasia,
era um dia como outro qualquer,
cansado, seguia por entre
as ruas vazias,
as luzes acesas e frias,
pedalando, seguindo em frente,
ouvindo o que acontece
em Campinas em ou na capital,
seguia
no novo dia,
que passou arrastado,
o almoço foi gostoso,
comemos o cardápio de sempre,
feijão, arroz, soja, hoje tinha de mistura
carne moída,
falamos um monte de porcaria,
nessa vida vadia,
a tarde se estirou,
debitei uns créditos na pós,
choveu, mas parou,
e assim meu dia se passou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário