segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Moacyr Scliar


Ontem faleceu um grande escritor Moacyr Scliar gaúcho, escreveu vários livros, em entrevistas sempre bem humorado contava sua trajetória, suas paixões pelas histórias pelos seus pais, porque escolheu medicina como profissão. Esse gaúcho de origem humilde, mas que nem por isso deixou de atingir o panteão sentou na cadeira de número 31 da academia brasileira de letras. Tomei contato com o autor no programa sempreumbompapo, onde fiquei encantado a primeira vista. Não tive a oportunidade de ler seus livros ainda, mas certamente está na lista de prioridade. O Brasil perde um dos grandes escritores. Soube que ele muitas vezes era convidado e ia as escolas dar palestras incentivando a leitura. Esse brasileiro é um guerreiro e um herói no nosso mundo, será imortalizado. Vai em paz Scliar.


“A literatura não pode mudar o mundo, mas a minha geração achava que sim. Da mesma forma como acreditava a geração de Jorge Amado, Graciliano Ramos e Raquel de Queiroz. Em todo caso, se a literatura mudar pessoas, isso já é suficiente. E ela muda.”

“A morte de Ivan Ilitch, do Tolstoi, é uma verdadeira lição de vida, e a prova de que alguns livros de ficção podem ensinar mais do que qualquer manual de medicina.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário