terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Força

Certa vez na vida quando ainda era muito jovem descobri que tudo era possível e tudo era simples bastava pensar bem forte, pedir a deus e era só esperar que a coisa acontecia. Pedi a deus tantas coisas boas e tantas coisas boas me aconteceram independente de meus pedidos, tive meus pais por toda a infância, cresci dentro de uma crença, tive bons amigos, fiz a faculdade que queria cursar, mas sabe chega um momento em que decididamente não sabemos como agir, para onde ir, o que fazer, quando não se tem mais o deus pra pedir, a crença para acreditar, o que nos sobra? Se não creio em alma, céu ou inferno, que me resta? Se sei que vou morrer, que meus queridos também, que morrerei só, que nasci só e sigo a minha vida só, na maior parte da vida penso só em mim. Descobri jovem que tudo era possível, caminhei muito pra chegar onde cheguei, mas que adianta se agora, agora que preciso de um norte, tudo perde o sentido. Quando era menino agia como menino e agora que sou adulto terei que fazer o mesmo que um adulto faria. Tinha uma meta na vida fazer um doutorado, mas e agora que estou quase acabando, cadê meus novos sonhos? Eu não os construí, me iludi lendo, aprendendo e tudo isso pra que? Quase perdi o controle do corpo, puxa mas perder da alma é difícil. Como fazer para reconstruir tudo novamente? Não sei, mas sou forte, sou filho do norte. Na certa depois do mar tem uma ilha,
quero cruzar firme a vida, antes que seja cruzado pela vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário