terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Dança do tempo

O tempo
passa como a luz do sol,
nem percebemos que passa,

sopra o vento nossos rostos,

esculpi em nossa pele
as marcas do tempo,

Nossa alma se perde,

na longa caminhada
da vida,

as marcas de ferida,

são cicatrizes,

que dão ao tempo,
as notas da sinfonia
que é a vida,
essa poesia,
com fim

pra todos e pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário