segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Morcegos

Depois da chuva da tarde,
caiu a noite úmida,
sem vento, sem estrelas.
Ouço o canto dos morcegos,
que me faz lembrar,
as noites sossegadas,
na casa de papai.

Embalado em seu canto,
cai o sono lentamente,
vai chegando os sonhos
e a alma vai fugindo docemente.

Quando era pequeno acreditava que ratos originavam morcegos,
teve uma vez que encontramos um grande morcego, na cumieira da casa,
ficamos achando que fazia pouco tempo que ele havia se transformado de rato em morcego.
Pobre morcego, não durou muito além daquela manhã.

Os morcegos não são criaturas amáveis alguns são hematófagos, se alimentam de sangue, e
muitas vezes quando acordava e ia pegar o animal no paieiro, encontrava-os com o pescoço em sangrando, os morcegos mordiam e depois lambiam o sangue.
Papai geralmente colocava um pano no paieiro para espantar os morcegos, ele não sabia que morcegos quase não tem visão, não enxergam quase nada. Que estes emitem um som forte e que é o eco que os guia durante a noite.
Alguns morcegos se alimentam de polém, por isso são muito importantes na polinização de algumas plantas. O Cardeiro é um exemplo de planta polinizada por morcegos. Outros ainda de frutos, por isso são importantes na dispersão destes frutos, outros ainda de insetos. Enfim os morcegos tem vários hábitos alimentares. No entanto são animais com hábito totalmente noturno. As asas dos morcegos são modificações de uma mão, onde ocorre o desenvolvimento de membranas entre os dedos. São os únicos mamíferos voadores.
Os morcegos me trazem muitas lembranças da infância.

Era uma noite escura,
noite estrelada,
os cajueiros pensos de fruto e flor,
o cheiro de seus frutos coloriam a noite,
cheiro de cajus amarelos,
voltava da vizinhança,
quando ao chegar em casa,
encontramos um morcego
grande no chão junto a parede,
então dog queria pegar,
mas papai não deixou,
podia ter o vírus da raíva.
papai jogou no mato,
fomos dormir com morcego na cabeça,
sonhamos com vampiros a noite,
foi uma noite negra,

Nenhum comentário:

Postar um comentário