segunda-feira, 29 de novembro de 2010

metafísica

É perversa a ilusão que posso tudo,
quando não posso nada.
Estou preso a tudo,
a matéria, a substância a alma.

Mas e o que sou?
senão um ilusão,
se minha realidade só me causa confusão,
é necessário toda uma construção,
da alma, da vida e do ser.

Mas afinal o que sou?
sou produto do meio?
Sou uma ilusão?

O que posso senão ação,
como fazer cristalizar o que penso,
e não viver penso,
porque senão aceitar abdicar da liberdade,
o que faria só,
seria expulso do grupo,
um eremita!

ilusão, ilusão
tu me aflinges a alma,
me tiras a calma,
me coage a metafísica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário