quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Convolvulaceae

Ipomoea, Merremia, Jaquemontia, Evolvulus fizeram parte de minha infância,
mas como sendo diversas jitiranas.
Não é impressão não no sítio onde morei as estrelas caiam do céu pela manhã e se transformavam em plantas de estrelas. Transformavam-se em flores, azuís, como Ipomoea nil, Ipomoea parasitica, Evolvulus cordatus; rosas como Ipomoea bahiensis, Ipomoea incarnata, Ipomoea asarifolia; brancas como Merremea aegyptia, como Jaquemontia densiflora. Foi na infância que me apaixonei pelas flores. Fui um apaixonado pelas estrelas, fui amante das Ipomoea.
Lembro de ver verdadeiros céus de flores dia a dia. Quando no fim do inverno o céu tornavam-se bem mais azuis e os carrascos com mameleiros cobertos por Jitiranas tornavam-se rosados.
Aprendi a trabalhar, colhendo ramas de Ipomoea pra alimentar os porcos. Sim foram nas folhas de Ipomoea que descobri a forma do coração.
Foi as Convulvulaceae que me fizeram botânico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário