domingo, 17 de outubro de 2010

O sanfoneiro

A sanfona

Luiz de Mundinho era um dos maiores homens de Serrinha do Canto, acho que tinha 1,90 m, era filho de mundinho. Epiléptico, gostava de tomar cana. Neto de Chicadofo um dos velhos que viveu mais em nossa comunidade. Bem Luis tinha um pé muito grande coitado pra calçar uma sandália tinha que fazer encomenda, Tyo-tyo e havaianas eram pequenas. Um homenzarão com uma voz cansada. Gente boa as vezes papai chamava ele pra trabalhar na roça, alugava o dia. Um cara grande, mas comia pouco engraçado, bom na enxada. Seu Mundinho uma vez comprou uma égua e era hilário ver aquele ganzelão montado numa égua em caminho do açude do Alívio. O maior amor do Luiz era tocar sanfona. Ele tinha uma sanfona. E a noite quando estava cansado da lida. Sentava em frente a casa de Seu Chicadofo avó e começava a tirar um som. Tirava aquele som de forró pé de serra. Era conhecido a fama de seu Mundinho quando morava na morada nova, um grande dançador. E ele tocava até chegar a noite umas nove horas. E se Recolhia. Certo dia estavamos na casa de Dezu, ouvimos o som da sanfona fomos ver o Luiz tocar. Coitado era epiléptico e teve uma crise foi triste ele cair do tamborete com a sanfona. Se tinha um feriado comprava um burrinho de cana e tocava. A música que ele mais tocava era galeguim dos oi azul. Ele dizia que tinha criado uma música "mentira cabeluda", não sei se era verdade. Bem pai as vezes passava lá e pedia pra ele cantar barriga de aluguel, ele cantava com muito gosto. Engraçado ele cantava quando acabava a música enchia o peito de ar, muito sério, não podia rir, pois ele já achava que estavam de chacota com ele. Durante muito tempo foi viciado. Dizem que ele largou do vício e se tornou protestante. Era triste ver ele certas vezes bebado. Acho que deixou a vida numa dessas caiu e bateu a cabeça. Sem dúvida foi um dos primeiros artistas que conheci. Que vive nas memórias de infância. Pessoa pacata de bem não ofende ninguém, além da comida que comia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário