segunda-feira, 4 de outubro de 2010

diálogo.

O que buscamos,
não sabemos.
Uma ilusão talvez,
uma esperança quem sabe.

A vida muitas vezes
se esvazia,
fica sem poesia.

Desilusão.
quem sabe uma oração faça bem.
Mais de onde vem inspiração?

da estética, da ética?

O mundo que me envolve,
com suas formas,
com nossas formas,
nossas criações.

grande coisa,
as vezes nada vale a pena falar, comunicar.

Basta uma contemplação.

A vida passa independente de qualquer coisa.

ao som do mar,
a calma do rio,
o silêncio da partida do sol,

o som da noite,
som de insetos.

O que vou fazer amanhã.
Quem se importa...

Desde que faça algo,
desde que como máquina exerça algo.

Não sou uma mosquito hematofago em busca de sangue,
não me importa se o sangue está quente,
tenho geladeira em casa.

trabalho pra manter
essa ordem que almejei em minha vida,
pra evitar a lida sob o sol,
inventei de estudar
e hoje

o que fazer para contemplar a vida?

Acho que preciso me eternizar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário