quarta-feira, 1 de setembro de 2010

origem

Nem tudo que vejo entendo,
nem tudo que toco tenho noção do que seja,
nem tudo é.
Nem tudo que penso faz sentido.
Nem sempre me expresso,
simplesmente sou.
Esse corpo orgânico, humano que pode tudo e nada.
Mas preciso compreende que sem saber do simples,
não saberei nada e se souber do simples,
posso alcançar muita coisas.
um sentido para a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário