quarta-feira, 17 de março de 2010

rua muda

Cruzando as ruas, desrespeitadas, calçadas cheias de cacos de vidro, coco de cachoro, paredes pichadas que tristeza de paisagem não dar nem gosto de viver, de contemplar a cidade.
Na correria muitas vezes esquecemos de ver o que acontece, na nossa rua,
pois sabemos o que acontece em Israel, ah o "Lula se recusou a visitar o túmulo do sionista", mas definitivamente não sabemos o que acontece na nossa rua, desconheço meus vizinhos, com exceção 3 vizinhos, que algumas vezes cumprimento de relance, ignoro o que acontece.
Nada de tirar uma prosa, ou conversar sobre política, nada.
Saio cedo, e tudo que filmo são instantes breves dos lugares que passo e ao acaso flagro algo acontecer, concluo apartir de minhas observações, as vezes tem tanta coisas interessante, mas não seio o que acontece na minha rua.
Os becos sem dono, muitas vezes exalam cheiro de urina, cruzamos, os becos sujos, nus, muitas vezes servem de acesso a malinagem, uma transa rápida sei lá é só um beco.
Sujaram minha parede quem foi? não sei? nem o vizinho sabe, pois nao me conhece.
As ruas não falam, apenas expressam a agressividade com que são tratadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário