sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Tarde

Tarde doce tarde vem chegando!
O Sol ardendo aos poucos passando.
Tarde calor, aos poucos vai passando,
ouço longe cantar a cambacica.
Os raios do sol vão horizontalizando,
seguindo poente abaixo.

Ah! tardes quantas tardes já vivi, quntas hei de viver.
sentado, fico a matutar, sobre as tardes,
sempre tão fagueira.

Lembro da poeira amarela em frente a minha velha casa,
onde alguns transeuntes quebravam o silêncio com um cumprimento.
Boa tarde!

Nos pequenos afazeres, tais como por comer pro gado,
tortas, chiquerar o bezerro.

e o sol se vai até chegar a noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário